ASSIM AGEM OS HERÓIS...ASSIM AGEM OS BOMBEIROS...

A noite chega envolta em brumas anunciando mais uma etapa do dia. Em algum lugar anônimo, alguém vela pela população desta cidade que se prepara para dormir. Os pensamentos absortos, olhando o horizonte, torce para que tudo transcorra na mais perfeita paz e harmonia, afinal a vida ainda é o bem maior que o ser humano pode possuir e ele sabe que se vir acontecer alguma anormalidade, alguém estará passando por grandes dificuldades e necessitará de sua ajuda iminente.

Os minutos transcorrem lentamente e alcançam as horas, passo a passo como se fossem presságios de que algo está para acontecer. No seu descanso, o sono persiste em não chegar, a angustia toma conta do peito e espera ansiosamente o anunciar de um novo dia, que teima em não chegar. De repente! No meio da madrugada o brado de uma sirene de alerta rasga a imensidão da noite. É um incêndio! A adrenalina lhe percorre o corpo como um raio avassalador, e num piscar de olhos já está de pé pronto para a sua missão sagrada que é de salvar vidas e proteger bens.

O ronco do motor da viatura confunde-se com o eco da sirene durante o deslocamento. Agora os minutos passam rapidamente como se estivessem apressando a tragédia. O coração está disparado, o medo não existe! Só o anseio de chegar rapidamente ao local para agir, pois alguém, também anônimo, pode estar perecendo na destruição das chamas incandescentes.

Ele chega! Fogo destruidor! Desespero! Dor, enfim a morte ronda ameaçadora e assustadoramente. Ouvem-se gritos... é a vítima indefesa que clama por socorro. Ele não titubeia, age imediatamente adentrando ao sinistro com coragem que só aos heróis é dispensada. O fogo queima-lhe a pele, a temperatura é altíssima, mas não importa, o que realmente vale é a vida que está se esvaindo e, neste momento, a diferença entre a vida e a morte depende pura e exclusivamente desse destemido homem do fogo.

Ele não faz distinção de raça, sexo, cor, religião ou classe social, não pergunta nomes, apenas acolhe àquela vítima e a traz para vida, como se fosse o precursor de um novo nascimento. Ele não quer dinheiro, não quer mídia, não quer condecorações, ele só quer ver o alívio e o agradecimento no rosto de alguém que estava já sem esperanças - Isto basta! Com a rapidez de um felino ele transporta a vítima para um lugar seguro. O fogo é combatido e a vítima assistida.

Agora ele retorna para dar continuidade a sua rotina do dia-a-dia. O balanço da viatura e o roncar nervoso do motor contrastam com a calma que lhe invade a alma. O coração já não bate acelerado como antes - a normalidade retornou! Apenas a brisa da madrugada toca o seu rosto e a mente está aliviada por uma sensação agradável de dever cumprido. A vida continua!

Assim agem os HERÓIS...Assim agem os BOMBEIROS!

LEIA MAIS: